Oficinas Culturais do estado celebram o centenário da Semana de Arte Moderna

0
117

Do Portal do Governo 

Ao longo do mês de fevereiro, as Oficinas Culturais, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis, estarão com uma programação voltada para as comemorações do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, um dos marcos do Movimento Modernista no Brasil. Todas as atividades são gratuitas.

Na Oficina Cultural Oswald de Andrade, um dos destaques é a exposição Parque 22, da artista plástica Iara Jamra. A exposição reúne pinturas, esboços e rascunhos que buscam refletir o mundo em 2022: personagens ocultos, sem rostos, sem olhares, inexpressivos e atônitos, diante de uma pandemia avassaladora. As obras remetem a Semana de Arte Moderna de 1922 como num parque de memórias. A exposição pode ser visitada até 30 de abril.

A atividade Confraria Ciranda Poetrix na Semana de Arte Moderna, que ocorre no dia 12 de fevereiro, pretende ocupar diferentes espaços da Oswald de Andrade para recriar em um dia, das 12h22 às 18h22, as movimentações propostas pela Semana de Arte Moderna. Buscando celebrar este centenário, a confraria realiza uma programação que envolve debates, lançamentos de livros, oficinas e ações formativas. Inscrições e retirada de ingressos para as atividades devem ser realizadas no dia. Confira a programação:

12h22 – Café com Poesia

13h00 – Podcast (Chamada para primeira apresentação) 

           – Projeções de Grafitrix animado (Chamada para primeira apresentação)

13h10 – Mesa Redonda: 

#Mestre de Cerimônia: Lorenzo Ferrari (Presidente Confraria Poetrix)

#Poetrix: Goulart Gomes (Criador do Poetrix)

#Confraria Ciranda Poetrix: Beth Iacomini (Vice-presidente Confraria Poetrix)

#Semana de Arte Moderna 1922 – 2022, Literatura em pauta: Cleusa Piovesan (Confreira Ciranda Poetrix)

#Causos da Semana de Arte Moderna 1922: João Scortecci (Presidente ABIGRAF SP)

#Perguntas com participação do público

15h10 – Oficina Poetrix: Lorenzo Ferrari, Goulart Gomes e Pedro Cardoso (Criador Duplix) 

16h45 – Lançamento da Antologia POETRIX 22, Antologia 7 e demais livros do Selo Confraria Poetrix

17h – Sorteios, leilão e Sarau

18h22 – Encerramento Lorenzo Ferrari 

De 14 a 19 de fevereiro a Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe o espetáculo Dos Escombros de Pagu. Com texto de Tereza Freire e direção de Roberto Lage, a peça apresenta a vida de Patrícia Galvão de forma a dar voz a Pagu, musa dos modernistas, militante, inquieta, lúcida, mãe, filha, poeta e jornalista. Ao longo da peça, a “personagem Pagu” conta sua história e reflete sobre tudo o que viveu, desde a infância até o final de sua vida. Apresentações de segunda a sexta, às 20h, e no sábado às 18h.

Além do teatro, a dança também terá espaço na programação dedicada ao centenário. No intuito de homenagear o compositor Heitor Villa-Lobos, que teve papel fundamental na Semana de 22 e nos desdobramentos do modernismo, a atividade Solos Brasileiros: Danças para Villa-Lobos reúne 9 artistas da dança contemporânea para criar experimentos cênicos que possuem como ponto de partida as Bachianas Brasileiras.

De 15 a 19 de fevereiro, Allyson Amaral, Ângelo Madureira, Beatriz Sano, Eliana de Santana, Ivan Bernardelli, Jorge Garcia, Luis Ferron, Mariana Muniz e Morena Nascimento mostrarão os resultados do convite para mergulhar no universo do modernismo e de suas reverberações em solos inéditos que serão apresentados ao público nos diferentes espaços da Oficina Cultural Oswald de Andrade. Os ingressos serão distribuídos com uma hora de antecedência. Confira a programação:

15/2 | TERÇA-FEIRA | 19h

– Paisagens 1.2.3 – Mariana Muniz (Rua interna/Convivência)

– BAQUIANA nº 1 – Ivan Bernardelli (Área de Convivência)

– Oferenda Coreográfica para Villa Lobos – Filme de Morena Nascimento (Cineclube)

16/2 | QUARTA-FEIRA | 19h

– ESTREITAMENTO SEVERO – Luis Ferron (Rua interna/Entrada)

– BAQUIANA nº 1 – Ivan Bernardelli (Área de Convivência)

– MOVIMENTO UM – Eliana de Santana (Sala 7)

17/2 – QUINTA-FEIRA | 13h

– Bocaaaaaaa – Allyson Amaral (Área de Convivência)

– MOVIMENTO UM – Eliana de Santana (Sala 7)

17/2 – QUINTA-FEIRA | 19h

– ESTREITAMENTO SEVERO – Luis Ferron (Rua interna/Entrada)

– ONILÉ – Ângelo Madureira (Área de Convivência)

– VERMELHO COMO BRASA OU ME MOSTRA ONDE DÓI – Jorge Garcia (Casinha 41)

18/2 – SEXTA-FEIRA | 13h

– Paisagens 1.2.3 – Mariana Muniz (Rua interna/Convivência)

– Oferenda Coreográfica para Villa Lobos – Filme de Morena Nascimento (Cineclube)

18/2 – SEXTA-FEIRA | 19h

– ONILÉ – Ângelo Madureira (Área de Convivência)

– VERMELHO COMO BRASA OU ME MOSTRA ONDE DÓI – Jorge Garcia (Casinha 41)

– tudo de novo – Beatriz Sano (Sala 7)

19/2 – SÁBADO | 13h

– tudo de novo – Beatriz Sano (Sala 7)

– Bocaaaaaaa – Allyson Amaral (Área de Convivência)

– Oferenda Coreográfica para Villa Lobos – Filme de Morena Nascimento (Cineclube)

Já a Oficina Cultural Maestro Juan Serrano recebe o “Projeto Expográfico” de Luis Guimarães, que traz uma Releitura Contemporânea da Semana de 22. As obras apresentadas trazem técnicas de pintura, assemblage, marcenaria e escultura em metal. Dentre as referências a Tarsila do Amaral, ilustração do Poema de Manuel Bandeira declamado na ocasião, o projeto ainda apresenta retratos de Oswald de Andrade, Di Cavalcanti e Mário de Andrade produzidos à mão, que chegam a grande proporção de 2,20mt.

As obras ficam expostas até 11 de março, podendo ser visitadas de segunda a sexta, das 11h às 17h, e aos sábados, das 10h às 13h.

A Semana de 22 também norteará a atividade Painel Contemporâneo em Pintura Coletiva, que em três encontros reunirá interessados em produzir na prática um grande painel coletivo com 40 quadros de pinturas distintas em comemoração aos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Sob a orientação do artista multifacetado Manu Muniz, 40 pessoas poderão retratar livremente nas suas telas, releituras em tinta acrílica de obras que marcaram o movimento. A atividade será realizada nos dias 4, 11 e 18 de fevereiro, das 9h às 11h.

É obrigatório a apresentação do comprovante de vacinação contra Covid-19, com duas doses, para acessar os espaços das Oficinas Culturais. Em razão do avanço da pandemia, algumas atividades podem ser alteradas ou canceladas. Antes de ir, entre em contato com a Oficina Cultural.

Leave a reply