SARAMPO: CASOS AUMENTARAM QUASE 80% EM JANEIRO E FEVEREIRO, ALERTA OMS E UNICEF

0
73

OMS E UNICEF REGISTRARAM 21 GRANDES SURTOS DE SARAMPO NO MUNDO

OMS e Unicef alertam para sinal preocupante de maior risco de doenças que podem ser prevenidas com vacina; com a pandemia de Covid-19, muitas crianças ficaram vulneráveis ao sarampo por não estarem imunizadas.

Os casos de sarampo em todo o mundo aumentaram 79% em janeiro e fevereiro deste ano, na comparação com o mesmo período de 2021. O alerta foi feito esta quarta-feira pela Organização Mundial da Saúde, OMS, e pelo Fundo da ONU para a Infância, Unicef.

As agências destacam que este é “um sinal preocupante do aumento do risco de doenças que podem ser prevenidas com vacinas”, além da possibilidade do “surgimento de surtos, especialmente quando milhões de crianças foram infectadas pelo sarampo em 2022”.

Campanha de imunização contra o sarampo está atrasada em vários países.

OMS e Unicef notam que a pandemia de Covid-19 está relacionada à situação, uma vez que aumentaram as desigualdades de acesso à imunização de rotina. Com isso, muitas crianças ficaram sem proteção contra o sarampo e outras doenças.

Até este mês, as agências da ONU registraram 21 grandes surtos de sarampo no mundo. A maioria na África e na região leste do Mediterrâneo. Os cinco países com mais casos são: Somália, Iêmen, Afeganistão, Nigéria e Etiópia.

A OMS e o Unicef afirmam que os números reais podem ser muito mais altos, já que a pandemia também prejudicou os sistemas de vigilância e controle globais. Foram mais de 17,3 mil casos de sarampo registrados no mundo nos meses de janeiro e fevereiro, comparados com 9,6 mil no mesmo período do ano passado.

O sarampo é altamente contagioso e por isso, os casos aumentam rapidamente quando o nível de vacinação diminui. As agências lembram que a doença pode ser fatal, enfraquecendo o sistema imunológico e deixando os pacientes mais suscetíveis a outras doenças como pneumonia e diarreia, até mesmo meses depois da infecção. Somente em 2020, 23 milhões de crianças ficaram sem receber vacinas básicas, o maior número desde 2009.

NO BRASIL

Dois casos de sarampo foram confirmados no Estado de São Paulo em 2022, sendo um na capital e outro no município de São Vicente, localizado na região metropolitana da Baixada Santista. Anteriormente, o caso havia sido notificado por Cubatão, porém a notificação leva em conta o município de residência do paciente, conforme cadastro feito no sistema oficial pelos municípios.

A idade dos infectados não foi revelada pelos órgãos responsáveis. Na capital, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 24 outros casos estão sendo analisados.

As contaminações confirmadas em São Paulo são autóctones, ou seja, as pessoas contraíram o vírus no próprio território brasileiro, e não em viagem. “Isso significa que o vírus está entre nós, e se a aderência à cobertura vacinal não melhorar, os casos podem aumentar rapidamente”, explica Melissa Valentini, infectologista do Grupo Pardini e mestre em Infectologia e Medicina Tropical pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

O sarampo é uma doença infecto-contagiosa causada por um vírus chamado Morbillivirus. A enfermidade é uma das principais responsáveis pela mortalidade infantil em países do Terceiro Mundo. A transmissão acontece diretamente de pessoa a pessoa, por meio das secreções do nariz e da boca expelidas ao tossir, respirar, falar ou respirar (confira abaixo nesta reportagem os sintomas da doença).

Leave a reply