BANCO ALERTA SOBRE GOLPES POR E-MAIL E DÁ DICAS PARA PROTEÇÃO

0
93

BANCO ALERTA SOBRE GOLPES POR E-MAIL E DÁ DICAS PARA PROTEÇÃO

Banco Votorantim – BV – explica detalhadamente como o cidadão pode se proteger dos golpes por e-mail, cada vez mais frequentes e difíceis de identificar; Brasil é líder nesse tipo de golpe

Você já caiu em algum daqueles golpes por e-mail? Essa é uma modalidade bastante comum e ainda mais frequente durante a pandemia. Apenas entre janeiro e fevereiro de 2021, houve um aumento de 100% no phishing, em que o usuário fornece informações pessoais por conta de mensagens falsas.

Também chamado de golpe do e-mail falso, esse golpe é cometido a partir de uma mensagem fraudulenta. Por exemplo, supostamente enviada pela Receita Federal ou pelo seu banco pedindo para atualizar sua conta para ela não ser bloqueada. Assim, o criminoso conquista o acesso e pode roubar todo o seu dinheiro.

O que engana é o fato do e-mail ser parecido com o verdadeiro. Além disso, o link de acesso também tem uma aparência similar ao site verdadeiro. Isso faz o Brasil ser líder mundial nesse tipo de golpe.

Porém, é possível se proteger. Mas como? Entendendo como funcionam esses golpes via e-mail. Por isso, neste post, vamos explicá-los melhor e ainda trazer dicas para evitar o roubo de suas informações. Saiba mais!

Como funcionam os golpes por e-mail?

Os principais golpes por e-mail são os ataques de phishing, mas ainda existem outros. No geral, o processo começa com o envio de uma mensagem fraudulenta, mas bastante parecida com a verdadeira. O objetivo é realmente enganar.

O assunto pode ser a regularização da sua conta, a confirmação de dados, a atualização de um token etc. A aparência do e-mail é idêntica a uma mensagem verdadeira. Ou seja, são usados os mesmos botões, cores, cabeçalho e logotipo. No entanto, sempre tem uma diferença.

Além disso, há um link para realizar a suposta ação necessária. Ao clicar nele, o usuário é redirecionado a uma página falsa, em que precisa colocar suas informações pessoais. Pronto! Os cibercriminosos já têm seus dados e podem utilizá-los da forma que quiserem.

Por isso, é importante dar atenção às características e detalhes para evitar ser mais uma vítima.

Como ter atenção e não cair nesses golpes?

Ao receber um e-mail de um banco ou órgão público, é importante se perguntar se é um golpe. Ter essa postura de questionamento sempre é o primeiro passo para não ter problemas. Ainda é importante se fazer as seguintes perguntas:

-a quem a mensagem é dedicada;

-se o assunto tem relação com a sua vida, seu trabalho ou com você;

-se o remetente está claro;

-se a mensagem tem erros de português, de imagens ou de formatação;

-se alguma informação sigilosa é solicitada;

-se a mensagem tem algum link suspeito;

-se o endereço de e-mail do remetente é estranho, suspeito ou incorreto;

-se o e-mail foi enviado por uma solicitação sua;

-se a sua senha é forte e segura.

Todas essas perguntas ajudam a descobrir se alguém está tentando passar um golpe por e-mail. Por exemplo, se o endereço do remetente é “@hotmail.com” ou “@gmail.com” e a mensagem for de um banco, provavelmente é falso. Isso porque instituições financeiras sempre têm um endereço com domínio próprio, ou seja, “@nomedaempresa.com”.

Além disso, se alguma informação sigilosa é solicitada, é praticamente certo de que essa mensagem é um golpe. De novo, os órgãos públicos e os bancos não trabalham dessa forma. Nesse caso, é preciso ter cuidado para evitar que os dados do seu cartão de crédito sejam roubados, por exemplo.

Nesse cenário, é preciso seguir algumas dicas para não ter problemas. As principais são:

-evite abrir anexos ou clicar em links de mensagens em que o remetente é desconhecido;

-desconfie até de remetentes supostamente conhecidos, como os de lojas de varejo — sempre tenha atenção a ofertas de prêmios, valores em dinheiro ou produtos com preços abaixo do mercado;

-nunca insira seus dados bancários ou cadastrais — as empresas e os bancos não fazem isso — e, se tiver alguma dúvida, entre em contato com o estabelecimento;

-confirme que os e-mails de bancos são verdadeiros — para isso, entre em contato com a instituição financeira e verifique se realmente houve o envio dessa mensagem;

-retire boletos dos sites das empresas — mesmo que eles sejam enviados por e-mail, o ideal é acessar a área de atendimento ao cliente e pedir a segunda via (além disso, sempre confirme as informações da fatura, como valor e data de vencimento, para garantir que ele é verdadeiro).

Nenhum banco manda e-mail para seus clientes pedindo informações pessoais, falando sobre o bloqueio da conta ou um possível cartão clonado. Portanto, quando receber esse tipo de solicitação, saiba que é uma tentativa de golpe.

Por e-mail, pode chegar alguma mensagem com o boleto da fatura do cartão de crédito ou financiamento, por exemplo. Ainda assim, sem links.

Caso tenha alguma dúvida, é possível entrar em contato com os canais oficiais de atendimento, como o SAC e a ouvidoria. Desse modo, qualquer dúvida é sanada e uma tentativa de golpe por e-mail é simplesmente afastada.

O que fazer em caso de suspeita de golpe?

Se você seguiu todas as dicas que já apresentamos e ainda tiver dúvidas sobre a veracidade da mensagem, entre em contato com a central de atendimento ou um canal de atendimento oficial. Ligue e clique no menu para ser atendido por um operador. Explique a situação e você receberá a informação relativa ao e-mail.

Tenha em mente que o sistema dos operadores de atendimento está sempre atualizado. Por isso, se você ligar e perguntar sobre a mensagem, terá a informação correta.

Além disso, nunca forneça documentos e senhas por e-mail. Antes disso, faça a confirmação e, se for necessário, você envia uma mensagem nova, em vez de responder àquela enviada. Até mesmo porque o BV e outros bancos dificilmente farão esse pedido.

Agora, você já sabe o que fazer e entende por que é importante evitar os golpes por e-mail. As dicas que repassamos são boas práticas para verificar a veracidade de uma mensagem. Assim, é só ficar atento e sempre desconfiar, ok?

Caso aconteça algo errado, você ainda pode resolver o problema. Entenda como funciona a contestação de compras do cartão BV e indique quando foi vítima de um golpe por e-mail.

Texto extraído de informativo do BV 

O golpe: a Receita não trata de Imposto de Renda ou CPF via e-mail – Foto: divulgação

 

Leave a reply