GLAUCOMA: CASOS AUMENTARAM 26% NO 1º. TRIMESTRE; EVITAR É FÁCIL

0
52

GLAUCOMA: CASOS AUMENTARAM 26% NO 1º. TRIMESTRE; EVITAR É FÁCIL

 A doença é a principal causa de cegueira evitável; doença pode ser adquirida ou autoimune e pode destruir o nervo ótico; leia o que é a doença e como tratá-la

Hoje é o Dia de Combate ao Glaucoma, uma das doenças mais traiçoeiras – o portador só a percebe quando já está com ela totalmente instalada.

O número de exames para diagnóstico de glaucoma, no SUS, aumentou em 26%, nos três primeiros meses deste ano, em comparação ao mesmo período de 2021. A doença é a principal causa de cegueira evitável. O levantamento do CBO, Conselho Brasileiro de Oftalmologia, leva em conta as informações oficiais do Datasus, do Ministério da Saúde.

O glaucoma é a principal causa de cegueira evitável no mundo e pode ser adquirida – com excesso de corticoides, por exemplo – ou já vem na carga genética do paciente. O nervo óptico acaba sendo destruído, aos poucos, devido ao aumento da pressão dentro do olho. Mesmo sem cura, a doença pode ser tratada com medicamentos ou cirurgia.

Segundo o oftalmologista Cristiano Caixeta, o ideal é que as pessoas façam consultas oftalmológicas com frequência para que o especialista analise possíveis doenças oculares e encaminhem para os exames adequados.

Resumindo, EXAMES OFTALMOLÓGICOS PERIÓDICOS PODEM PREVENIR O GLAUCOMA, DETECTANDO-O AINDA NO INÍCIO.

O CBO estima que o Brasil tem cerca de 1,5 milhão de pessoas com glaucoma. Mas é importante lembrar que esse número se refere aos diagnósticos confirmados após exames. Muitas pessoas têm a doença e não sabem ainda. Em 2020, a estimativa era de 80 milhões de pessoas com glaucoma em todo o mundo.

O QUE É GLAUCOMA?

glaucoma é uma doença grave que surge na sequência do aumento da pressão intraocular. A perda de visão é consequência da destruição das células do nervo óptico, uma estrutura que liga o olho ao cérebro occipital e responsáveis pela condução das imagens da retina até ao cérebro.

pressão ocular (pressão interna do globo ocular ou tensão ocular) deve manter-se dentro de determinados limites, à volta dos 15 mm Hg (pressão normal do olho) embora possa oscilar entre os 10 e 22 mm Hg (valores limite), sendo uma condição essencial para garantir o correto funcionamento do olho. Existem vários fatores que contribuem para a conservação da pressão intraocular nos valores normais, destacando-se a produção do humor aquoso.

O humor aquoso é um líquido transparente, constituído por água e sais dissolvidos e sua função é nutrir a córnea e o cristalino e regular a pressão interna do olho (pressão intraocular). O humor aquoso fica na câmara anterior e posterior do globo ocular.

Se a drenagem do humor aquoso não se fizer nas quantidades iguais às de produção do mesmo, as pressões oculares aumentam, provocando glaucoma nos olhos e consequente dano irreversível do nervo óptico.

O nervo óptico é comparável a um cabo elétrico formado por inúmeros fios, os axónios. Nos doentes com glaucoma essas fibras encontram-se atrofiadas, tornando-se impossível a condução das imagens até ao cérebro. Secundariamente, verifica-se o aparecimento de escotomas (pontos brilhantes que ficam no campo visual) e com o evoluir da doença, o glaucoma provoca perda progressiva de visão.

glaucoma ocular é uma doença habitualmente assintomática nas fases iniciais e que pode provocar cegueira, ou perda de visão severa, se não for diagnosticada e tratada de forma atempada e adequada.

CAUSAS DO GLAUCOMA

As causas de glaucoma podem ser diversas, podendo ser congênitas ou adquiridas.

A origem do glaucoma ocular pode também estar associada a algumas doenças. Entre as doenças, destaca-se a diabetes que é uma das principais causas do glaucoma Diversas doenças têm sido associadas ao glaucoma. Uma das principais é a diabetes, que provoca lesões na retina (retinopatia diabética) que, por sua vez, se não forem tratadas a tempo provocam o glaucoma. Esse tipo de glaucoma é muito difícil de tratar.

SINTOMAS

Os sintomas mais frequentes são manchas escuras no no campo visual periférico. No olho com glaucoma, à medida que a doença evolui, as manchas vão aumentando e a visão vai-se deteriorando. Olhos vermelhos, lacrimejantes, fotofobia (sensibilidade à luz), dor nos olhos, dor de cabeça são também frequentes.

Os sintomas de glaucoma apenas são detectados, de um modo geral, numa fase avançada da doença, isto é, quando cerca de 50% das células ganglionares estão atrofiadas. A doença é traiçoeira, porque inicialmente não apresenta sintomas, progredido para fases graves de forma silenciosa

Se o glaucoma não for tratado, a doença pode levar à lesão permanente do nervo ótico, causando alteração progressiva do campo visual, podendo progredir para a cegueira.

GLAUCOMA CONGÉNITO

Falamos de glaucoma congênito quando a criança já nasce com a doença. O glaucoma infantil (em crianças) é diagnosticado facilmente, já que é patente o aumento do globo ocular com a córnea aumentada e turva. Estas anomalias decorrem de um aumento de pressão intraocular na gestação ou durante os primeiros seis meses de vida. Outros sinjais: olhos vermelhos, olhos lacrimejantes (olhos com excesso de lágrimas) e fotofobia (sensibilidade à luz).

O glaucoma congénito não tratado é uma das principais causas de cegueira infantil e juvenil.

GLAUCOMA AGUDO

No glaucoma agudo (também conhecido como glaucoma de ângulo fechado) a pressão intraocular aumenta de forma abrupta. No glaucoma agudo, os sintomas e sinais incluem diminuição da visão, olho vermelho e dor ocular, de tal forma intensa que, por vezes, provoca crises de náuseas e vómitos. Quando isto acontece, estamos perante uma situação de urgência clínica.

Sem intervenção médica nas primeiras quatro a seis horas após a crise, o doente com glaucoma agudo pode perder a visão (cegueira) de forma irreversível.

DIAGNÓSTICO DO GLAUCOMA

Os doentes com glaucoma ou suspeitos de terem a doença devem ser estudados recorrendo a vários exames para um correto diagnóstico, entre eles campimetria e tomografia ótica.

GLAUCOMA TEM CURA?

O glaucoma não tem cura, mas existem diversas formas de controle da doença disponíveis que  permitem aos doentes com glaucoma uma vida perfeitamente normal.

Quanto mais precoce for o diagnóstico do glaucoma, maiores serão as probabilidades de se evitar a perda da visão. 

TRATAMENTO DO GLAUCOMA

No glaucoma, o tratamento tem como objetivo reduzir ou estabilizar a pressão intraocular. Quando este objetivo é atingido, o dano das estruturas oculares,  principalmente do nervo ótico, pode ser evitado.

Na maioria dos casos, o tratamento de glaucoma pode ser efetuado apenas com o recurso a colírios. Trata-se de um tratamento farmacológico (medicamentos para glaucoma) que permite reduzir ou estabilizar a pressão intraocular, não sendo portanto necessário qualquer tipo de tratamento cirúrgico.

A prevenção e tratamento adequado de doenças crônicas, como a diabetes e as suas complicações nos olhos, são também de extrema importância para evitar o glaucoma ou retardar a sua progressão.

Alguns doentes, no entanto, podem necessitar de tratamento cirúrgico de modo a reduzir a pressão intraocular para níveis mais baixos, inferiores normalmente, a 22 mmHG. 

Para saber mais sobre o glaucoma, assista a entrevista:

(133) Entenda: Glaucoma é uma doença que não tem cura e pode levar à cegueira – YouTube

(Com conteúdo de saudebemestar.pt/vídeo: Agência Brasil)

 

Credito saudebemestar.com.pt

Leave a reply