HOJE É “DIA MUNDIAL SEM TABACO” – LEMA DA ONU É “ENVENENANDO NOSSO PLANETA”

0
45

HOJE É “DIA MUNDIAL SEM TABACO” – LEMA DA ONU É  “ENVENENANDO NOSSO PLANETA”

Mais de 8 milhões morrem por ano por causa do tabaco; especialistas e ativistas utilizam redes sociais para aumentar conscientização global; ONU apoia campanha para chamar atenção para os danos.

Além de fazer mal aos usuários, o tabaco também leva à destruição do meio ambiente através do cultivo, da produção, distribuição, consumo e o lixo gerado pelo cigarro e outros derivados.

Um dia antes da data, nesta segunda-feira, 30 de maio, especialistas e ativistas debateram o tema no Twitter Spaces e outros fóruns de redes sociais.

Um outro evento está marcado para 2 de junho para ressaltar o impacto do tabaco sobre a economia, o clima, a saúde humana, sociedades, biodiversidade e a água.

600 MILHÕES DE ÁRVORES E 22 MILHÕES DE LITROS DE ÁGUA

A OMS (Organização Mundial de Saúde) afirma que 600 milhões de árvores são cortadas para a produção do tabaco. A quantidade de água utilizada na produção dos cigarros ultrapassa 22 milhões de litros.

E mais de 84 milhões de toneladas métricas de CO2 (dióxido de carbono) são emitidas na atmosfera para produzir o tabaco.

Uma outra preocupação são os micro plásticos contidos dentro das pontas de cigarro que contêm lixo tóxico. Os cigarros eletrônicos também poluem e danificam o meio ambiente.

A OMS afirma que os consumidores precisam estar atentos a estratégias de marketing das empresas de tabaco que doam quantias para causas de sustentabilidade tentando convencer os consumidores de que suas plantações não são prejudiciais.

A agência da ONU (Organização das Nações Unidas) é clara em dizer que o tabaco é uma epidemia que prejudica a saúde humana e o meio ambiente, e deve ser erradicado para que as próximas gerações sejam mais saudáveis. 

OMS e ONG Stop unem-se para chamar a atenção sobre os impactos ecológicos dos produtos de tabaco e nicotina; 22 bilhões de toneladas de água são usadas na produção, sendo que 4,5 trilhões de pontas de cigarro são descartadas por ano no mundo.

A Organização Mundial da Saúde e a ONG Stop, que trabalha para expor práticas destrutivas da indústria do tabaco, uniram forças para alertar a população mundial sobre como o meio ambiente sofre com a produção de cigarro e similares.

Elas divulgaram um relatório conjunto mostrando que 22 bilhões de toneladas de água são utilizadas na produção de tabaco em todo o mundo. O volume é equivalente ao de 8,8 milhões de piscinas olímpicas.

POLUIÇÃO DO AR

Os impactos para o meio ambiente não param por aí: são 32 milhões de toneladas de folhas de tabaco, por ano, para produzir 6 trilhões de cigarros. Este volume de produção gera mais de 80 milhões de toneladas de dióxido de carbono, CO2.

Na quinta-feira, 12 de maio, OMS e Stop promoveram um debate online sobre o tema. A diretora de Meio Ambiente e Saúde Pública da OMS, Maria Neira, apelou à população mundial para parar de poluir o planeta de várias maneiras incluindo por cigarro.

FIM DO CONSUMO E PRODUÇÃO

Maria Neira explicou que um quarto da taxa de mortalidade no mundo poderia ser evitado se as pessoas parassem de destruir o meio ambiente. Ela defendeu ainda o fim do consumo e da produção do tabaco.

Segundo OMS e ONG Stop, os fumantes acabam por descartar todos os anos cerca de 4,5 trilhões de pontas de cigarro nas ruas e nas praias.

Os produtos químicos contidos nas bitucas liberam toxinas suficientes para matar 50% dos peixes de água salgada ou doce se ficarem expostos a essa água por 96 horas.

O relatório menciona ainda produtos como cigarros eletrônicos e tabaco aquecido, que causam “um novo conjunto de problemas, como lixo eletrônico”

O alerta sobre os danos da produção e do consumo de cigarros está sendo feito em razão do Dia Mundial de Combate ao Tabaco, marcado todos os anos em 31 de maio.

DIA MUNDIAL DO TABACO – TABAGISMO É DOENÇA

O Dia Mundial sem Tabaco é uma data celebrada anualmente no dia 31 de maio. Criada pelos Estados membros da Organização Mundial da Saúde, a campanha tem como objetivo chamar a atenção para a epidemia do tabaco e para as mortes que causa, informando o público sobre os perigos do uso do tabaco, as estratégias da indústria do tabaco e as ações da Organização Mundial da Saúde para o controle do tabagismo. A campanha também visa informar as pessoas sobre o que podem fazer para ter uma vida saudável e proteger crianças, adolescentes e jovens das consequências devastadoras do tabagismo.

A Revisão da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde[2] classifica o tabagismo como doença, no grupo dos transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de substância psicoativa. A doença é causada pela dependência à nicotina presente em produtos derivados de tabaco e é a maior causa isolada evitável de adoecimento e mortes precoces em todo o mundo.

tabagismo é responsável por mais de 7 milhões de mortes por ano em todo o mundo e por inúmeras doenças tabaco relacionadas. É uma das principais causas do câncer de pulmão e no Brasil milhares de pessoas morrem anualmente por este tipo de câncer. A maior parte dos fumantes vive em países de baixa e média renda e possuem menor escolaridade. 

NO BRASIL

No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva é o órgão do Ministério da Saúde que coordena o Programa Nacional de Controle do Tabagismo e é o responsável pela divulgação e comemoração da data de acordo com o tema estabelecido a cada ano pela Organização Mundial da Saúde. 

As ações comemorativas envolvem a sociedade civil e ocorrem de forma articulada com as secretarias estaduais e municipais de Saúde dos 26 estados e Distrito Federal. 

São promovidas diferentes ações de mobilização em escolas, unidades de saúde, ambientes de trabalho e outros. Essas ações, em sua maioria, são abertas ao público possibilitando a troca de informações e sensibilização da população em geral. 

Dentre as atividades desenvolvidas ocorrem caminhadas, corridas, atividades ao ar livre, medições referentes ao consumo de tabaco com uso de monoxímetro, criação de peças teatrais e jogos.

No site do INCA é possível tirar dúvidas a respeito do tabagismo e como controlá-lo. Visiste Perguntas frequentes: Tabagismo | INCA – Instituto Nacional de Câncer

 

Quando descartadas de forma inadequada, as pontas de cigarro são uma forma de poluição plástica que pode prejudicar a vida marinha e envenenar as águas

Foto UNEP/Shawn Heinrichs

Entre os dez itens mais encontrados nas praias brasileiras estão restos de cigarro, tampas de garrafa, canudos, garrafas plásticas e sacolas plásticas.

Leave a reply