ONÇAS VOLTAM A SE ENCONTRAR EM REFÚGIO E ESPERANÇA SÃO NOVOS FILHOTES

0
48

Após quase três anos separadas, as onças Nena e Valente voltam a se encontrar em refúgio de vida silvestre e esperança é que gerem novos filhotes

Cacau, filhote de onça-pintada, nasceu após após vários anos de tentativas de reprodução de indivíduos em cativeiro no Refúgio Biológico Bela Vista*, em Foz do Iguaçu, no Paraná. A fêmea era filha de Nena e Valente, animais que precisaram ser resgatados da vida selvagem e levados para lá. Dois anos mais tarde, em 2019, o casal se reproduziu novamente, e como resultado, houve a chegada de Poty e Pytu.

Como na natureza macho e fêmea de onças-pintadas só ficam juntos durante o período da reprodução, logo após o acasalamento Nena e Valente foram separados. Na vida selvagem, quem cuida dos filhotes é a fêmea, aproximadamente até os dois anos de vida. Depois desse tempo, os animais mais jovens buscam seu próprio território.

Nos últimos quase três anos, durante a separação do casal, os recintos onde eles viviam foram reformados, ganhando mais vegetação e mais “brinquedos” que possam estimular a curiosidade e o condicionamento físico das onças.

Mas há poucos dias, após tanto tempo sem se ver, Valente e Nena se reencontraram novamente. O macho já estava no recinto quando o portão foi aberto para que a fêmea entrasse no local. Não demorou muito para que se reconhecessem e trocassem afagos. “Os felinos têm uma memória afetiva muito grande, mesmos depois de tanto tempo separadas, as onças logo se reconheceram, fizeram carinhos”, diz Pedro Teles, médico-veterinário da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu Binacional.

A expectativa é que eles possam gerar filhotes mais uma vez.

Eles são muito importantes para reproduzir porque carregam a genética da Mata Atlântica”, diz Teles. De acordo o especialista, atualmente existem cerca de 350 onças-pintadas em áreas do bioma.

O objetivo do programa de reprodução em cativeiro do Refúgio Biológico Bela Vista é fazer um banco genético vivo que permita, no futuro e com o apoio de outras instituições, reintroduzir a espécie na natureza.

Valente chegou ao refúgio em 2007. Ele foi encontrado abandonado numa fazenda na divisa entre Mato Grosso do Sul e São Paulo e encaminhado pela Polícia Ambiental a um centro de recuperação de animais silvestres em Campo Grande. 

Já Nena, que é uma onça-pintada melânica, foi levada para Foz do Iguaçu em 2016, aos três anos de idade, vinda de uma fazenda no Mato Grosso do Sul, após ter sido achada ao lado da carcaça da mãe.

*O Refúgio Biológico Bela Vista fica localizado numa área de 1.780 mil hectares, na margem brasileira de Itaipu. O espaço reúne hoje uma grande diversidade de espécies da flora e da fauna regional, muitas delas ameaçadas de extinção, e tornou-se um posto avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (título concedido pela Unesco) por reunir pesquisa, conservação e educação.

Conteúdo de conexaoplaneta.com.br/Suzana Camargo/ 30/5/2022

Foto: conexaoplaneta.com.br 

Leave a reply