PADRE PEDRO BERTOLINI: O HOMEM QUE DINAMIZOU A FESTA DE SANTO ANTONIO NA GRANJA VIANA

0
89

Falecido em abril de 2020, aos 62 anos, padre Pedro Bortolini foi o homem por trás do sucesso da Festa de Santo Antonio na Granja Viana e da construção da nova igreja; além disso, organizou a igreja, descentralizou o poder, estabeleceu metas e triplicou o número de fiéis

O site da Paróquia de Santo Antonio na Granja Viana afirma, e com razão, que a história da paróquia se confunde com a história da Granja Viana (Paróquia Santo Antônio na Granja – São Paulo (encontragranjaviana.com.br). E é do site que extraímos parte deste texto.

Construída em 1949 pelo sr. Niso Viana,  para atender as famílias que trabalhavam na Granja Viana, em 1955 as irmãs  Josefina, Virgínia, Marta e a Irmã Celina, da Associação Filhas de São Camilo, assumiram a direção da Ação Social Santo Antônio, promovendo a assistência e ajudando na direção espiritual. Estruturaram o Apostolado da Oração, o Grupo das Filhas de Maria, a Cruzada Eucarística, o Movimento de São José e a Catequese para crianças. Nesta época, o padre Bruno, que já trabalhava, passou a morar na paróquia para oferecer um melhor atendimento aos fiéis.

A Paróquia de Santo Antônio foi instituída canonicamente em 1957 pelo Cardeal Dom Motta. Em 1968 o Cardeal Rossi recomendou aos Padres da Pequena Obra da Divina Providência, Dom Orione, que assumissem a Paróquia, que hoje possui 12 comunidades: São Luis Orione; Imaculada Conceição; Nossa Senhora Aparecida; Nossa Senhora do Brasil; Sagrado Coração de Jesus; São José Operário; Santa Cruz; São Francisco; São Jorge; Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; Nossa Senhora da Anunciação e Santo Antônio.

Ao deliberar sobre a construção da nova Matriz, um dilema se apresentou: construir um templo totalmente novo, demolindo tudo ou integrar a igreja histórica fundada pelo sr. Niso Viana, integrando-a ao complexo. Por plebiscito, decidiu-se pela integração da antiga igreja ao novo complexo.

Feito concurso para o projeto da nova matriz, por concurso, a construção teve início em 2004, executando-se primeiro o prédio das atividades administrativas e operacionais e em seguida a construção do templo propriamente dito.

PADRE PEDRO

A vinda do padre Pedro Bortolini para a paróquia alavancou tanto a construção quanto a própria paróquia.

De acordo com matéria publicada na revista Época Negócios, de 24/1/2014, encontrável ainda pelo link  Ele acabou com a confusão da paróquia – Época Negócios | Ideias (globo.com), de autoria da jornalista Ariane Abdallah, o padre, que era  formado em um curso de gerenciamento de empresas e marketing, considerou que o baixo interesse dos fiéis, a sua “clientela”, era um sintoma de que algo não ia bem com o produto. Resolveu, então, fuçar em busca da origem do problema – e investir em inovação.

Colheu, através de consultores de diversas empresas, um diagnóstico detalhadosobre lacunas administrativas, identificar falhas e propor soluções nas engrenagens do pequeno conglomerado de igrejas, à semelhança do que é feito para as grandes corporações.

A lista de entraves era longa, com confusão de cargos e funções e clima de isolamento e competitividade entre os coordenadores de cada unidade. O padre afirmou à reportagem que  “Nas reuniões, eles se comportavam como ilhas”, estavam preocupados com o que seria bom para a igreja, mas não se viam como parte de um grupo.”

Resolveu então utilizar o motor e elo da equipe – que era a evangelização do maior número de pessoas na comunidade – como incentivo para a transformação. Adotou um lema: “Para evangelizar é preciso melhorar”. E pôs em prática seu projeto de gestão.

Dividiu a paróquia em quatro setores, cada qual com três igrejas e um gestor responsável pela supervisão do desempenho dos coordenadores locais, descentralizando o poder e compartilhando as responsabilidades. Impôs metas de acordo com suas características e uma vez por mês se reuniam para aferir os resultados.

Diz a matéria que os produtos também foram aprimorados. A missa ganhou elementos inovadores. “Houve uma grande reformulação na liturgia”, diz o padre. “Contratamos cantores melhores e, com equipamentos como o datashow, projetamos a letra das canções na parede da igreja.” Com isso, o público aos domingos, naquele horário nobre, triplicou: passou de uma média de 150 para 450 pessoas em três anos (veja outros resultados no quadro abaixo).

Outra mudança: houve uma revolução na quantidade e na qualidade dos eventos realizados nos fins de semana. A média de festas paroquiais passou de duas para quatro por mês. E os brindes melhoraram. Em um bingo realizado em março, entre as prendas distribuídas havia uma geladeira, um tablet e um laptop, além de R$ 2 mil em dinheiro. Nada de toalhinha bordada e docinho caseiro. “O padre pensa grande”, disse Flavio Climas, gerente financeiro da paróquia. “Não quer saber de festinha – com ele, é só festão.”

O padre procurou os órgãos públicos para transformar seus projetos em realidade. Pediu- e obteve a colaboração de Sabesp, Prefeitura, Regional da Granja, secretarias municipais para, dentro de suas atuações, colaborarem com os serviços que desenvolvia à frente da paróquia.

A sua credibilidade era grande e ele a usava. Segundo Climas disse à revista, “O padre Pedro melhorou muito a credibilidade da paróquia”.  “Quando você diz que é de lá, as pessoas sabem que podem confiar em você e logo querem ajudar.”

Para melhorar ainda mais a administração, sugeriu a divisão de seu grupo de igrejas em dois. A Paróquia Santo Antônio é formada por nove unidades. Outro padre assumiu as quatro restantes. Para Climas, essa foi uma demonstração da capacidade de liderança do chefe. “Se a pessoa tem como alvo o crescimento, deve ter esse senso administrativo”, diz. “Deve dizer: ‘Calma aí, não posso assegurar a qualidade do trabalho sozinho, então é melhor parar’.” 

E, fruto do trabalho dos paroquianos, padre Pedro à frente, hoje a igreja nova se mostra, altaneira, com salão de festas, estacionamento, dependências administrativas e tudo o que é necessário para se gerenciar uma paróquia do tamanho da Granja.

Nossas homenagens ao padre Pedro Bortolini e a todos aqueles que colaboraram na construção da nova igreja, despendendo o seu tempo gratuitamente para tornar possível um sonho que beneficia milhares de pessoas.

Padre Bortolini colocou como meta de sua administração atrair mais fiéis para as missas (Foto: Rogério Canella)

Missa lotada, com a contratação de novos músicos e a chegada de um datashow (Foto: Rogério Canella)

A Igreja de Santo Antonio, construída por Niso Viana (Internet)

A nova Igreja da Paróquia de Santo Antonio

Leave a reply