ALIMENTAÇÃO ESCOLAR: GOVERNO PAGA R$ 0,36 POR ALUNO

0
21

Alimentação nas escolas é feita com menos de um real por aluno; governo federal reduziu orçamento para alimentação de R$ 4,06 bilhões em 2021 para R$ 3,96 bilhões em 2022. 

 A inflação alta no país afeta a alimentação dos alunos nas creches e escolas. O repasse do governo federal é de apenas R$ 0,53 (isso mesmo, cinquenta e três centavos) para alimentação de cada aluno da pré-escola.

O valor é ainda mais baixo para o ensino fundamental e médio: R$ 0,36 (trinta e seis centavos) por aluno, só ultrapassando R$ 1,00 para os horários escolares estendidos. Nas creches, o valor é de R$ 1,07; no ensino integral, varia entre R$ 1,07 e R$ 2,00.

Esses são os valores do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), que “beneficia” 40 milhões de estudantes em instituições públicas de ensino no brasileiro. Isso tem se tornado um grande problema, principalmente se levar em conta que muitas crianças e jovens têm o prato de comida servido nas escolas a sua única refeição do dia devido o aumento da fome no país, o que torna a melhora nutricional da alimentação escolar torna-se ainda mais urgente.

Devido a isso, uma rede de instituições redigiu uma carta aos candidatos das próximas eleições com um apelo para que se comprometam com o reajuste do repasse para a alimentação escolar.

A carta alerta para o fato de que o valor do Pnae não teve reajuste significativo desde 2010. Além disso, houve redução de 20% em valores reais no orçamento do programa entre 2014 e 2019. 

Neste ano, considerado estratégico diante da perda nutricional dos dois anos de fechamento escolar da pandemia, o orçamento sofreu redução para R$ 3,96 bilhões —em 2021, foram R$ 4,06 bilhões.

E se o valor para fornecimento de alimentação aos escolares cai, a inflação dispara.A carta aberta cita, por exemplo, alta de 84% no preço do óleo de soja, de 39,7% no do arroz e de 34,4% no da carne, segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acumulado entre julho de 2020 e julho de 2021.

Alimentação nas instituições públicas

 

Leave a reply