ADOÇÃO RESPONSÁVEL – O QUE SABER ANTES DE ADOTAR UM PET

0
22

Guia do Programa PEDIGREE® Adotar É Tudo de Bom e Ampara Animal elaboraram guia para tirar dúvidas e orientar interessados na adoção responsável de animais 

Por que adotar?

As razões são inúmeras e cativantes, mas as principais são:

  • Todo cão merece um lar feliz e hoje, existem mais de 20 milhões abandonados pelo Brasil.
  • Quando adotados eles retribuem o cuidado da família com lealdade e amor incondicional.
  • Com isso, todo cão desperta o nosso melhor, valorizando o amor e as pequenas alegrias do dia a dia. Por isso são grandes companheiros, contribuindo para o desenvolvimento de crianças assim como para a saúde de adultos e idosos.
  • Adotar é uma alegria e uma responsabilidade para durar por toda a vida do seu cãozinho. Se a expectativa de vida deles é de 12 anos, conte com esses 4.380 dias de amizade, carinho e dedicação mútuos.

Eu nunca tive um cachorro em casa. O que eu preciso saber?

No momento da adoção a gente se torna responsável pelo bem estar do cãozinho. E quando acolhido com amor e respeito, ele começa a ficar bem, tanto física quanto psicologicamente, retribuindo cada cuidado com lealdade, amor e respeito incondicionais.
Lembre-se sempre que cães são seres vivos com sensações e sentimentos como tristeza, felicidade, dor, fome ou frio. Como um bom amigo leal possuem afinidades, vontade própria e necessitam de cuidado, carinho e atenção, desde a infância até ficarem idosos (muitos vivem por aproximadamente 15 anos).
Eles são instintivos, inteligentes e criam incríveis relações de afeto e carinho mútuo quando respeitamos e compreendemos a sua natureza.

O que é necessário para adotar?

Ser maior de idade, apresentar RG, CPF e comprovante de residência, além de estar disposto a cuidar dele com carinho e dedicação. É comum algumas ONGs cobrarem uma taxa simbólica de adoção para ajudar no trabalho de resgate e cuidados dos cães.

Como se preparar para a adoção?

  1. Preveja o espaço para o seu novo melhor amigo circular, dormir, brincar e fazer as necessidades. É importante que haja um local para ele ficar protegido das chuvas, sol e vento).
  2. Providencie um pote para ele se alimentar e outro para que ele tenha água disponível. E uma caminha ou casinha para dormir.
  3. Além disso, escolha um veterinário para cuidar da saúde, ministrar as vacinas e eventuais medicamentos, que seu cão precise.
  4. No momento da adoção, questione se o cão já está castrado, vacinado e vermifugado.

É importante também que ela seja um consenso entre todos os familiares que irão conviver com novo membro da família. Quanto mais gente dividir os cuidados diários, mais saudável e tranquilo o cão fica e mais alegria espalha para toda a família.

  1. Caso você more em imóvel alugado ou condomínio, verifique se animais são permitidos no espaço.
  2. Considere também que o animal vai necessitar de um período de adaptação no novo lar e isso demanda carinho e paciência. Ele provavelmente fará as necessidades fisiológicas fora do lugar, roerá alguns móveis, e bagunçará o ambiente até compreender suas regras.

De quais cuidados básicos o cãozinho vai precisar diariamente?

  • Água à vontade
  • Ração oferecida duas vezes ao dia
  • Carinho, atenção e companhia, evitando sempre não deixá-los sozinhos por longos períodos.
  • Passeio (lembre-se de recolher as necessidades dele durante o caminho).
  • Educação com limites impostos por você, orientada pelo veterinário. Assim ele fica mais feliz e saudável, construindo um vínculo forte com você. Se necessário, conte com a ajuda de um adestrador para isso.

Crédito: pedigree.com.br

Leave a reply