NOVO GOLPE FAZ SALÁRIOS SUMIREM DAS CONTAS DAS VÍTIMA

0
186

O chamado “Golpe da Portabilidade” foi constatado no Rio de Janeiro; criminosos usam dados de correntistas para criar vínculos forjados junto a outros bancos e fazer saque dos salários depositados. Veja como funciona e como se proteger.

Um novo golpe está nas praças e, embora tenha sido detectado no Rio de Janeiro, pode ocorrer em qualquer ponto do país. Nele, criminosos praticam a chamada engenharia social, utilizando dados de um correntista para abrir conta em outro banco e transferir para lá o pagamento de seu salário. Quando o patrão deposita o salário, simplesmente o estelionatário saca o valor – e a vítima fica sem nada na conta.

No caso do Rio, uma funcionária estranhou quando não lhe foi creditado o salário. Em contato com o empregador, soube que já havia, sim, sido depositado. Ao falar com o gerente do seu banco, o Itaú, este lhe informou que o seu salário tinha ido para uma conta aberta em seu nome no banco digital Mercado Pago.

Foram localizados outros três casos semelhantes. De acordo com o jornal O Globo, criminosos utilizam documentos falsos com dados roubados da vítima e abrem outra conta em um banco digital, pedindo a portabilidade para este último. A solicitação pode ser feita por aplicativo, e aí mora o perigo.

No caso citado acima, a vítima não foi consultada pelo Itaú sobre o pedido de portabilidade nem deu anuência à solicitação – e o dinheiro do salário foi direto para a nova conta, sem deixar rastros.

O dinheiro lhe foi restituído em 72 horas, através de contatos pessoais. A Polícia abriu inquérito e solicitou ao Mercado Pago os documentos usados para aberturada conta em nome da funcionária.

SERVIDORES PÚBLICOS SÃO MAIS EXPOSTOS

O Globo demonstra que dois fatores facilitam o golpe. Primeiro, a portabilidade salarial hoje é muito fácil, sendo possível pedir ao banco no qual a pessoa possui a conta-salário ou à instituição financeira na qual pretende passar a receber, abrindo uma nova conta. Toda a solicitação pode ser feita por aplicativo.

A outra facilidade – os servidores públicos. Seus dados geralmente são públicos e por isso os golpistas têm mais facilidade de acesso.

Outro fator que facilita muito a ação de bandidos é a venda de lista de dados pessoais, que ocorre em todo país. Daí a recomendação de especialistas, para que os bancos aumentem a segurança das operações de portabilidade.

SEGURANÇA E PRECAUÇÕES

Especialistas sugerem que todos têm que tomar cuidado e ficar atentos às tentativas de furtos de dados pessoais, através de falsas promoções ou envio de links pela internet.

O interessado também pode consultar seu CPF para ver se há alguma conta bancária estranha vinculada, no sistema do Banco Central, por meio do Registrato. O programa fornece relatório com a data de abertura das contas.

O Serasa também oferece serviço (pago) no qual a pessoa recebe um alerta caso seu CPF seja consultado.

O Globo mostrou o passo a passo do golpe da portabilidade salarial:

  1. Com dados da vítima, os criminosos abrem uma conta nova em seu nome, em geral em bancos digitais.
  2. Em alguns casos, os criminosos falsificam documentos com os dados da vítima, mas usam uma foto de algum integrante do esquema. A abertura de contas em bancos digitais pode ser feita de forma virtual.
  3. Os criminosos pedem, no banco no qual abriram a nova conta, portabilidade do salário da vítima cujos dados foram usados. O pedido pode ser feito pelo aplicativo da instituição financeira.
  4. A solicitação da portabilidade é feita pelo banco que recebeu o pedido para aquele no qual a vítima possui conta-salário.
  5. Com a portabilidade concluída, no mês seguinte o salário da vítima sequer cairá em sua conta, indo direto para a nova, criada pelos golpistas.

Dicas para evitar o golpe

  1. Esteja atento às tentativas de criminosos de furtar seus dados pessoais, com links enviados para e-mail ou celular pedindo o preenchimento de dados para participar de pesquisas ou falsas promoções de estabelecimentos, por exemplo.
  2. É preciso ter atenção aos sites de compras, nos quais é comum fornecer muitos dados pessoais. Certifique-se de que o mesmo é confiável.
  3. A medida mais importante, em relação ao golpe da portabilidade é monitorar seu CPF e as contas abertas relacionadas a ele. É possível fazer essa checagem no Registrato, do Banco Central. Para ter acesso ao sistema, é preciso ter uma conta no sistema do governo federal (gov.br). Também é possível fazer o acesso com o login do próprio Registrato, no entanto, a criação de novas contas está suspensa.

(Fonte: O Globo)

 

Leave a reply