HÁ 64 ANOS, NASCIA UMA AMIZADE QUE CRIOU THE BEATLES

0
38

Um encontro entre dois adolescentes – John Lennon e Paul MacCartney, ocorrido há 64 anos, criou uma relação pessoal e depois profissional, que mudou a história da música

The Beatles lideram a lista de artistas mais vendidos de todos os tempos, com vendas certificadas de mais de 183 milhões de unidades nos Estados Unidos e vendas estimadas de 600 milhões de unidades em todo o mundo. 

Eles detêm o recorde da maioria de álbuns número um na parada de álbuns do Reino Unido, maioria de hits número um na parada Hot 100 da Billboard e maioria de singles vendidos no Reino Unido. O grupo foi introduzido no Rock and Roll Hall of Fame em 1988, e todos os quatro membros foram nomeados individualmente entre 1994 e 2015. 

Em 2008, o grupo liderou a lista da Billboard dos artistas mais bem sucedidos de todos os tempos na Billboard Hot 100.[2] A banda recebeu sete Grammy Awards,[3] quatro Brit Awards, um Óscar (melhor trilha sonora original por Let It Be, em 1970) e quinze Ivor Novello Awards.[4] A revista Time os inseriu entre as 100 pessoas mais importantes do século XX.

E tudo isso não teria ocorrido se não fosse um encontro acidental entre então dois adolescentes, John Lennon e Paul McCartney, do qual nasceu a relação pessoal e profissional que levaria à criação do grupo e daí ao topo do mundo musical.

Ambos viviam em bairros diferentes, não frequentavam a mesma escola e tinham dois anos de diferença. Mas tinham uma coisa em comum: a paixão pela música. John iria se apresentar ao vivo no anual Woolton Parish Church Garden Fete, um desfile e uma feira ao ar livre na qual John e seu grupo The Quarry Men Skiffle tinham sido convidados a tocar.

As atrações principais eram uma exposição de cachorros e uma banda de metais, mas um contato familiar havia ajudado o The Quarry Men a entrar para o programa, para agradar as centenas de adolescentes que estariam presentes. 

No meio do primeiro setlist de músicas executadas, o jovem Paul McCartney, de 15 anos, apareceu e assistiu ao show. Foi como se tivesse sido agarrado pelas pernas. Hipnotizado, enquanto John, que na época , ainda não tocava lá grande coisa, havia cativado o público com seu charme e vaidade excêntrica. Depois desse show, foi a vez de Paul impressionar o jovem John.

Um amigo em comum os apresentou em um auditório de uma igreja. John e os membros da Quarry Men Skiffle descansavam após mais um show, quando Paul sacou seu violão, que carregava nas costas, e começou a tocar “Twenty Flight Rock”, de Eddie Cochran, e depois “Be-Bop-A-Lula” de Gene Vincent e, então, um medley com músicas de Little Richard, (Todos esses artistas estavam no auge do sucesso na ocasião).

Conforme escreveu Jim O’Donnell em “The Day John Met Paul” (O Dia em que John Conheceu Paul), seu livro que relata esse momento histórico na música, “Um jovem que não fica facilmente surpreendido, John fica surpreendido nesse momento”.

A musicalidade de Paul ultrapassou a do mais velho John, porém, mais que isso, John identificou em Paul a mesma paixão que este havia detectado em John durante sua performance no palco. 

Logo, Paul estava ensinando a um John extasiado como afinar sua guitarra e escrever os acordes e letras para algumas das músicas que ele tinha tocado. Naquela mesma noite, andando para casa com um de seus colegas de banda, John lhe comunicou suas intenções em relação àquele novo conhecido. Duas semanas depois, John convidou Paul para entrar para o The Quarry Men. 

Em entrevista para a revista Rolling Stone, em 1995, Paul McCartney refletiu sobre esse momento: “Lembro-me de entrar na festa e ver todas as apresentações e uma me chamou atenção. Era John e a banda. Lembro que fiquei impressionado e pensei: ‘Oh, ótimo’, porque eu estava obviamente atento à música. Lembro- -me de John cantando uma música chamada ‘Come Go With Me’. Ele ouviu isso no rádio. Ele realmente não conhecia os versos, mas sabia o refrão”. Paul ainda acrescentou: “Eu apenas pensei: ‘Bem, ele parece bem, está cantando bem e parece ser um ótimo vocalista.’ Lembro que John era muito bom. Ele era realmente o integrante com maior destaque.

O que acontece depois todo mundo sabe. John e Paul chamaram um ‘gurizão’ chamado George Harrison para ser o segundo guitarrista de uma nova banda, algum tempo depois eles recrutam um baterista talentoso chamado Richard Starkey, mais conhecido como Ringo Star. Essa nova banda mudaria a história da música para sempre. Nascia aí The Beatles. Bendita hora que Paul foi ao pitoresco desfile com feira-livre, onde John dava os primeiros passos para uma carreira de enorme sucesso.

(Com conteúdo do O Estado de Mato Grosso Online e texto de Marcelo Rezende).

Paul Mccartney e John Lennon 

Leave a reply