MUNDO LEMBRA LIDERANÇA E REALIZAÇÕES EM DIA INTERNACIONAL NELSON MANDELA 

0
65

ONU diz que modelo do ex-líder sul-africano ainda é relevante para ultrapassar crises atuais; secretário-geral pede que mundo se insurja contra o ódio, defenda princípios fundamentais e promova valores da humanidade na 13ª vez em que data é celebrada.

Ontem, 18 de julho, foi o Dia de Nelson Mandela; representantes de todo mundo juntaram-se nas Nações Unidas para homenagear o Prêmio Nobel da Paz e ícone  que foi o primeiro presidente da África do Sul democrática entre 1994 e 1999. 

Primeiro chefe de Estado negro

Foi na mesma sala da Assembleia Geral que o símbolo da luta contra o regime segregacionista do apartheid foi ovacionado em 1994 em seu primeiro discurso como primeiro chefe de Estado negro de seu país, que estava inaugurando a era democrática e não racial.
Nelson Mandela agradeceu à comunidade internacional em nome de milhões de sul-africanos porque o respeito pela dignidade humana também inspirou a atuação global e levou a garantir a recuperação da dignidade de seu povo.

 Madiba já tinha sido recebido no órgão em 1990, pouco depois de ser libertado após 27 anos de prisão. Madiba é o nome do clã Thembu a que Mandela pertence. Foi também o nome de um chefe Thembu no século XIX. Chamar Madiba a Mandela é sinal de carinho e respeito. Significa «pai» em Xhosa.

Em mensagem de vídeo pelo Dia Internacional Nelson Mandela, o secretário-geral António Guterres disse que o mundo homenageia um gigante da atualidade. 

Cura de comunidades

Para o chefe da ONU, Mandela foi um líder de coragem incomparável, com grandes realizações, além de ser um homem de dignidade serena e profunda humanidade. O chefe da ONU aponta a marca de Nelson Mandela como homem que promoveu a cura de comunidades e foi mentor de gerações. Guterres disse ainda que ele continua sendo uma bússola moral e referência para todos.

Ele lembrou ainda que Madiba percorreu o caminho da liberdade e da dignidade “com determinação de aço e com compaixão e amor”.

Nesse trajeto, ele “demonstrou que cada um tem a capacidade – e a responsabilidade – de construir um futuro melhor para todos”.

 Num contexto de múltiplas crises globais, o líder das Nações Unidas destacou que o modelo do ícone sul-africano ainda é relevante.

Esperança

Guterres diz que se que o mundo de hoje é caracterizado pela guerra, sobrecarregado por emergências e marcado pelo racismo, pela discriminação, pela pobreza e por desigualdades, além de ser ameaçado pelo desastre climático. Ele destacou que se deve encontrar esperança no exemplo de Nelson Mandela e inspiração em sua visão ao apelar a ação no dia a dia em honra ao legado do ex-líder sul-africano.

Para Guterres, a atuação global no presente requer que fale abertamente contra o ódio e defenda os direitos humanos ou abrace a humanidade rica em diversidade, igual em dignidade, unida em solidariedade.

O secretário-geral termina a mensagem destacando que o mundo una esforços por uma situação mais justa, compassiva, próspera e sustentável para todos.

Foi em 2009 que a ONU proclamou a data para homenagear o legado de Nelson Mandela por meio de eventos de voluntariado e serviço comunitário. 

A celebração chama o mundo à ação e a explorar o “poder individual para transformar o mundo e para a capacidade de causar impacto”.
Além de político, Mandela também foi filantropo.

ONU/Evan Schneider

 

Leave a reply